© 2016 por chmcorpp - www.chmcorpp.com.br

  • Facebook Basic Black
  • LinkedIn Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • YouTube - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • Black Instagram Icon
  • Black Pinterest Icon

IMPLANTAÇÃO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SEGUINDO AS BOAS PRÁTICAS DO PMBOK® EM VALUATION PARA COMPRA E VENDA DE EMPRESAS

July 29, 2011

 

Este estudo teve como objetivo disseminar a ideia de conduzir o trabalho valuation como um projeto, o qual pode ser gerenciado usando as boas práticas do PMBOK®. Haja visto que valuation enquadra-se no conceito de projeto por ser único, não fazer parte da rotina da empresa, realizado em um espaço de tempo com início, meio e fim, e que se destina a atingir um objetivo claro e definido.

 

A avaliação de empresas consiste numa das tarefas mais delicadas em finanças, devido à multiplicidade de modelos e fatores envolvidos na modelagem empresarial. Apesar da dificuldade, o processo de avaliação é cada vez mais necessário e utilizado no mundo empresarial, pois é fundamental para nortear o processo decisório, seja na escolha de uma carteira de investimentos, seja na hora de definir o preço a ser pago numa aquisição, numa fusão e, principalmente, no planejamento e na gestão da empresa. (COSTA et al., 2010, p. 366).

 

Os mesmos autores afirmam que:

 

Qualquer empresa, independentemente do setor e do tamanho, pode e deve ser avaliada. Isso é válido inclusive para as empresas iniciantes que podem ainda não gerar um fluxo de caixa relevante e até o mesmo para empresas com dificuldades financeiras (COSTA et al., 2010, p. 366).

 

Um dos primeiros passos que um empresário cauteloso dá antes de investir em um projeto seja ele serviço; lançamento de um novo produto; venda e/ou aquisição de empresa; fusão ou joint venture é medir o quanto vale e o retorno que este novo empreendimento oferecerá. Após este estudo será possível ao administrador tomar uma decisão à luz destas informações, que são de fundamental importância para a construção de valor aos acionistas e ajudará a criar empresas mais saudáveis e auto-sustentáveis.

 

Conforme comenda Vargas (2009, p. 5), "os projetos podem ser aplicados em praticamente todas as áreas do conhecimento humano, incluindo os trabalhos administrativos, estratégicos e operacionais, bem como a vida pessoal de cada um." Para este autor, o projeto é uma ação temporária, com início, meio e fim, que tem como meta atingir um objetivo específico, transparente e definido, sendo coordenado por pessoas.

 

Portanto quando um empresário decide fazer valuation[1] para avaliar o impacto dos projetos no fluxo de caixa, ou adquirir, ou vender uma empresa esta ação pode ser vista como um projeto, o qual deve ser gerenciado e planejado por meio de processos.

 

Conforme pesquisa do SEBRAE-SP (2008, p. 20), 27% das empresas fecham em 1 ano de vida e 47% deste montante conseguem recuperar somente até 20% de seu capital investido. Este cenário dá indícios de que grande parte das pequenas e médias empresas brasileiras podem não estar fazendo valuation de suas empresas, muito menos aplicando as boas práticas a partir do PMBOK® na execução deste projeto. Estes fatos podem estar contribuindo para a baixa recuperação de valor investido em uma empresa após sua venda.

 

Já a pesquisa da KPMG (2010 – 4º trimestre, p. 3) mostra que o número de acordos de fusões e aquisições no Brasil em 2010 superou o recorde de 699 transações, verificado em 2007. Foram realizadas 726 operações, contra 454 no ano de 2009, o que representa um crescimento de 69%[2]. O fator decisivo para a quebra desse recorde foi o apetite das empresas estrangeiras por aquisições de empresas brasileiras no País, ou seja, valuation para compra e venda de empresas é uma ação que vem sendo praticada cada vez mais no Brasil. No entanto, embora realizado em um espaço de tempo, por ser de caráter único e ter um objetivo específico não é encarada como um projeto, ou seja, as boas práticas do PMBOK® não são usadas para avaliar uma empresa.

 

Diante destes dois cenários foi realizada para este trabalho uma pesquisa junto a 5 empresas, sendo que algumas delas são consideradas referências no mercado de consultoria em valuation para compra e venda de empresas. Através deste estudo foi possível constatar que nenhuma dessas empresas de consultoria usam as boas práticas do PMBOK® para conduzir o projeto valuation.

 

Foram realizadas, também, pesquisas na internet, busca por TCCs, bibliografias referentes ao tema e entrevista a um profissional da área a respeito da condução do projeto valuation segundo as boas práticas do PMBOK®, mas não foi encontrada nenhuma informação a respeito do tema da presente pesquisa.

 

Dentre os principais benefícios da utilização do gerenciamento de projetos, podem-se destacar os seguintes: Evita surpresas durante a execução dos trabalhos; Permite desenvolver diferencias competitivos e novas técnicas, uma vez que toda a metodologia está sendo estruturada; Antecipa as situações desfavoráveis que poderão ser encontradas, para que ações preventivas e corretivas possam ser tomadas antes que essas situações se consolidem como problemas; Adapta os trabalhos ao mercado consumidor e ao cliente; Disponibiliza os orçamentos antes do início dos gastos; Agiliza as decisões, já que as informações estão estruturadas e disponibilizadas; Aumenta o controle gerencial de toas as fases implementadas devido aos detalhamento ter sido realizado; Facilita e orienta as revisões da estrutura do projeto que forem decorrentes de modificações no mercado ou no ambiente competitivo, melhorando a capacidade de adaptação do projeto; Otimiza a alocação de pessoas, equipamentos e materiais necessários; Documento e facilita as estimativas para futuro projetos. (VARGAS, 2009, p. 227).

 

Desta forma, o foco deste estudo foi "Implantação de Gerenciamento de Projetos seguindo as boas práticas do PMBOK® em valuation para compra e venda de empresas", haja vista que a utilização deste guia confeccionado pelo PMI ajudará a minimizar as incertezas do projeto valuation.

 

[1] Valuation é o termo em inglês para "Avaliação de Empresas", "Valoração de Empresas" e "Arbitragem de Valor". Esta área de finanças estuda o processo de se avaliar o valor de determinado ativo, financeiro ou real. Disponível: em < http://www.juniorfea.com.br/servicos/financas/valuation/>. Acesso em: 12 mar 2011.

[2] Pesquisa de Fusões e Aquisições. KPMG, 2010. Disponível em: <http://www.kpmg.com.br/publicacoes/fusoes_aquisicoes/2010/FA_4otrim_2010.pdf>. Acesso em: 04 jan. 2011

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

COSTA, Luiz Guilherme Tinoco Aboim; COSTA, Luiz Rodolfo Tinoco Aboim; ALVIM, Marcelo Arantes. Valuation: manual de avaliação e reestruturação econômica de empresas. São Paulo: Atlas, 2010. 366p.

PMI (PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE).  Um Guia do Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK®) – Quarta Edição. USA: Project Management Institute, 2008.

VARGAS, Ricardo Viana. Manual prático do plano de projeto: utilizando o PMBOK®Guide. 4. ed. Rio de Janeiro: Brasport, 2009. 227p.

10 anos de Monitoramento da Sobrevivência e Mortalidade de Empresas. SEBRAE São Paulo, 2008. Disponível em: <http://www2.sebraesp.com.br/sites/default/files/livro_10_anos_mortalidade.pdf>. Acesso em: 04 jan. 2011.